Pirataria vira religião na Suécia.

Hãã.. mas não essa pirataria que você está pensando, de navios, ouro e Jack Sparrow.

Mas sim de download’s não autorizados e todo esse blablabla.

O ato de copiar é sagrado. amém. Essa é a doutrina e única mandamento do Kopimismo, movimento que acaba de ser reconhecido como religião pelo governo da Suécia.

O nome é inspirado em ‘copy me’ (copie-me, em inglês), e exprime a meta do grupo: defender o direito de compartilhar arquivos na internet. Mais de 5 mil pessoas já se associaram à Igreja Missionária do Kopismismo, que foi fundada pelo estudante de filosofia Isak Gerson, que diz: “O mundo é feito de cópias. E ele só evolui a partir do momento em que você utiliza as obras de outras pessoas para fazer algo melhor.”

Isak se inspirou na saga do The Pirate Bay, site sueco que é o centro da pirataria na internet e que as autoridades internacionais adoram tentar tirar do ar. A Suécia também é a casa do Partido Pirata, que defende a livre troca de arquivos e conquistou duas vagas no Parlamento Europeu em 2009.

O verdadeiro objetivo da religião é obter resguardo legal para os piratas e impedir que sejam processados. Mas eles ainda não conseguiram isso. Para ter direito aos benefícios que a Suécia dá às religiões, como subsídios do governo, os kopimistas precisão ser reconhecidos pela Justiça de lá, o que deverá ser difícil porque os criadores do Pirate Bay acabaram de ser condenados a um ano de prisão.

Por enquanto, a única vantagem que a igreja kopismista tem é evitar que outro grupo pirateie seu nome. Que tosco -.-‘

 

Fonte: Superinteressante

@luanamiyuki: por que o rum sempre acaba?

Anúncios