NOSTALGIA NERD #4

Deixando o estilo “Old Scholl” um pouco de lado. Hoje venho falar de um jogo de PS2.

Quem nunca jogou GTA: San Andreas, Resident Evil 4, Devil My Cry 3, Bully ou Ico?

“Pera aê… Mas que jogo é esse tal de Ico?”

Aposto que muitos pensaram isso, mas vamos lá.

O PS2 Foi lançado em 2001 nos EUA e no mesmo ano foi lançado o jogo Ico do estúdio Team Ico. Uma curiosidade: o Playstation 2 só foi lançado aqui no Brasil em 2003, e só começou a ser vendido igual água a partir de 2005, e foi o console mais vendido na época.

Voltando ao Ico..

Primeiramente foi projetado para PSone, mas como demorou muito para terminar acabou saindo para PS2. O jogo não fez sucesso nenhum, e mesmo assim é considerado uma obra prima dos games, com um lindo gráfico, uma história fascinante, jogabilidade boa, uma interação muito legal e personagens fofinhos. Own!

Chega de elogios e vamos falar um pouco da história:

Continuar lendo

Anúncios

NOSTALGIA NERD #3

Depois de alguns dias sem postar nada por problemas em meu amigo estomago, volto com este lindo jogo de 8-Bits.

Quando eu e minhas irmãs éramos criancinhas ganhamos uma distração fora do comum, algo que transformou horas de brincadeiras saudáveis ao ar livre em zumbis curvados em frente a TV, e sem dúvida esse foi o inicio de todo meu gosto por jogos eletrônicos, e até hoje ainda gosto muito dos jogos em 2D, e dos clássicos como Sonic the Hedgehog.

Esse jogo foi lançado no dia em 1991 para Mega Drive e Master System, eu o joguei em meu Master System III com Sonic na memória, não havia nada mais difícil que zerar este jogo. Para ver como foi difícil zerar o Sonic, repare no tempo que levamos: nós devíamos ter ganho este jogo entre nossos 8 ou 9 anos, e zeramos mesmo só com 11/12 anos.

Sim. O jogo é difícil. E você começa a jogar com 3 vidas podendo pegar até 99 vidas ao longo do jogo, sei porque já consegui 99 vidas, (lembrando que naquela época os consoles não tinham cartão de memória nem os famosos “passwords”) e se você conseguisse a plaquinha com a exclamação (!) no fim da fase, que toda fase passamos por uma plaquinha, você poderia conseguir um continue. O continue servia para quando desse Game Over, você voltaria de onde parou com mais 3 vidas. Mas era uma questão de sorte conseguir a exclamação (!) no fim de uma fase.

Continuar lendo

Nostalgia Nerd #2

Jogos de tiro em primeira pessoa são minhas paixões, mas, como sou muito fã de jogos clássicos, vou falar não do primeiro jogo de tiro em primeira pessoa (Wolfenstein 3D de 1993) mas do segundo do mesmo ano, e quase a mesma galera, o grandioso DOOM. Palmas.

Por favor, não me zoem, tudo bem que o gráfico do jogo não é tão legal, o áudio também deixa a desejar e a jogabilidade é uma vergonha, mas é um clássico dos jogos de terror em primeira pessoa, e no ano em que foi lançado foram feitas duas versões para nosso velho amigo MS-DOS e para o nosso amado Super Nintendo (onde joguei este jogaço), em sequencia foi lançado para várias outras plataformas (quase todas), e a que eu joguei novamente para o Game Boy Advance.

O jogo em si é muito simples, você tem o mapa e começa na ponta do mapa e tem que chegar na saída, nada mais. Viu, qualquer um pode jogar. Tá não é tão fácil assim, tirando os soldados possuídos por forças extraterrestres parecidos com zumbis, um bicho parecido com um Alien, e outras criaturas que provavelmente vieram das profundezas. Isso mesmo lá de baixo. E um carinha em particular como o Cyberdemon, um cara que mais parece o cara lá de baixo. Isso, ele mesmo. Eu deixo você sentir medo, não tenha vergonha disso, eu também fiquei.

Continuar lendo

NOSTALGIA “NERD”

Neste fim de semana (passado)  fui à uma festa de crianças, mas eu não sou muito fã de festas infantis, fui mesmo pelos pais que eu gosto muito, meus pais.

Chegando lá eu comi muito, bebi muito refrigerante, conversei muito, mas quando eu já estava começando a ficar entediado surge uma voz ao microfone: ”Criançaaaaadaaaaa vamos abrir no salão de jooooogooooooossssss”

“Salão de jogos?” Sim, sim, sim salabim! Foi isso que eu havia escutado.

Corri gritando como todas as outras crianças.

Decepção! Só jogo que eu não gostava, como: Kinetic Adventures, Street Fighter 3D, The King of Fighters e mais alguns infantis e jogos de corrida de carro.

Agora que chega a parte legal. Se é que existe parte legal.

Eu triste, andando me deparo com uma maquina de fliperama sozinha ao lado do Kinetic Adventures, sendo escondida atrás de uma pilastra, em um canto escuro do salão. Aperto os olhos para ver direito e vejo que era, nada mais nada menos que: Cadilac Dinossauro.

Esse é um jogo árcade de ação feito pela Capcom em 1992, a trama se passa em 2513, depois de uma catástrofe ambiental que provocou um colapso na civilização no século XX e o ressurgimento dos dinossauros. Bizarro! Podendo jogar com Jack Tenrec (o loirinho), a cientista Hannah Dundee (a gostosa), o Mess O’Bradovich (o retardado grandalhão) e o engenheiro Mustapha Cairo (o negão) . Eu joguei com o Jack e minha irmã (é, ela estava na festa) jogou com o Mustapha.

Este jogo me fez lembrar de coisas simples e belas da vida: Bater, andar e atirar! E ainda temos a oportunidade de dirigir um lindo Cadilac, atropelando geral que vem na nossa frente, sem levar multas ou ser preso. ( GTA ? )

Continuar lendo