Stan: File #01

Sempre fui um garoto estudioso, nunca gostei de sair para festas e essas coisas. Sempre fui muito na minha, mais porque eu não liguei para o que estava acontecendo, reformulando, mais porque eu só ligava para o meu futuro, então sempre deixei a vida um pouco de lado.

Na escola todos me zoavam. Agora posso falar no presente, eu sou o “CDF”, o “Nerd”, o babaca, e piorando pouco a pouco. Nunca liguei, porque eu sei que no meu futuro eles serão meus empregados, sei que a humildade passou longe neste comentário, mais se formos parar para pensar, qual jovem de 16/17 anos que pensa no futuro nos dias de hoje? Nenhum. Isso quer dizer que já tenho uma larga vantagem em comparação a muitos.

Embora eu seja muito zoado eu sou um cara muito maneiro, passo cola, faço trabalhos e exercícios, por dinheiro, é claro. Sou um cara muito legal…. tá!

Não sou tão legal assim, mas eu tenho amigos. Um negão gordinho da minha sala, ele é burrinho pra cacete em português, história, resumindo: em tudo que não é ciência exata, mas é muito viciado em jogos e é um blogueiro viciado e apaixonado pelo que faz. Seu nome é Igor, para os íntimos: Sete (Bola Sete). Meu outro amigo é meio parecido com um anti-herói, ele é o tipo de cara que só passa na média, zoa tudo e todos, fala com todo mundo, ele é um tipo de “Bad Boy” simpático, todas as garotas querem ele, e todos os caras o querem morto, mas ninguém meche com ele. Ele é fogo! É alto e tem um porte melhor que o meu e é claro que melhor que o do Sete. Ele já tem até barba… Mas ninguém arruma briga comigo e com o Sete por causa dele, somos zoados, mas nunca apanhamos. Tá ótimo! Ted (chamamos ele assim porque o nome dele é muito feio) pode não parecer, mas assim como eu e Sete, ele também é um Nerd de carteirinha, mas a única diferença é que ele sabe esconder.

Nós somos amigos desde antes do ensino médio, nossos pais são amigos e moramos no mesmo prédio desde que nos entendemos por gente. Nascemos no mesmo ano, 94, Bola Sete em outubro, eu e o Ted nascemos em dezembro. Ted no inicio, e eu no final.

Eu ?!?!?!

Bom eu sou…. EU! Não sei falar de mim, mas vou tentar. Sou amarelado, e com o cabelo com o mesmo corte desde que eu entrei para o fundamental: moicano punk, épocas maior, épocas menor, mas sempre da mesma cor, loiro meio castanho, que é o natural. Como eu me visto? Sei lá… gosto de camisas pólo e calças normais, coladas nunca. Fala sério! Os meus tênis são sempre os mesmos: Reef ou Adidas, e só. E eu detesto acessório, o único que eu levo para todo canto comigo é meu PSP, presente de aniversário de 15 anos, que o tenho com muito cuidado. Como já falei, sou meio calado. Não gosto de conversar com quem eu não conheço.

Garotas ????

Fala sério cara, eu sou sinistro com as “minas”… Tá bom, é mentira minha. Dou minhas paqueradas, mas essas garotas são muito interesseiras, só querem saber do meu cérebro e dos deveres e trabalhos que eu cobro para fazer. Deixando bem claro que não cobro de pessoas que sofrem com a ausência de entendimento ou de dinheiro mesmo. Se eu perceber que uma pessoa de minha sala está realmente interessada em aprender, eu ensino, explico, faço junto, corrijo, Sei lá! Eu ajudo da melhor maneira, em troca de um simples sorriso e um “muito obrigado!”, o Sete também é assim, mas ele sempre manda o pessoal vir falar comigo primeiro. Não sei por que.

Vou falar a verdade, sou muito sentimental e sonhador. Por isso que estou aqui. Meus pais acham que por perder meu avo no dia do meu aniversário, que por uma infeliz coincidência é no dia 25 de dezembro.

Eu deveria vir aqui, e você teve essa brilhante idéia de que eu deveria escrever. Não sei em que isso vai ajudar, mas estou começando a gostar.

Meus pais ?!?!?!

Eu admiro meu pai, ele sempre sabe o que quer, ele é o tipo de cara que todos respeitam, não por ser militar, mas por que ele realmente transmite uma confiança muito acima do normal, e eu vejo que meu pai e minha mãe também sempre quiseram abrir portas de oportunidades para mim. Por exemplo: os cursos que eu fiz e faço ainda, o incentivo a todas as minhas idéias, por mais passageiras que fossem. Até mesmo quando eu falei que gostaria de seguir carreira igual ao meu pai, ele sentou comigo e falou: “Filho, isso tipo de profissão não é para os fracos.” E riu muito.

Na hora fiquei sem entender merda nenhuma. Mas depois ele me falou que meu jeito, meu caráter não permitia que eu fizesse certo tipo de coisa que eu teria de fazer lá. Depois ele me levou para assistir Tropa de Elite ai eu entendi melhor.

Minha mãe é a mulher mais linda e fantástica na face da Terra. Ela sabe tudo sobre mim, sabe até mais que eu mesmo, uma pessoa dessas tem que ter o máximo de respeito possível. Mas ela nunca me defendeu quando eu e os meus irmão fazíamos merda, enquanto as mães de Sete e Bruce não os deixavam apanhar de seus pais, minha mãe não ligava se meu pai ia me bater, e quando ele não estava em casa ela que me batia.

Ahh cara, bater é o de menos… Prefiro apanhar que ficar sem meu quarto. Lá que estão todas as coisas tecnológicas que eu tenho: PC’s, consoles e afins… Sabe como é né !? Um dia sem tecnologia é uma eternidade de informação perdida.

Meu avô ? Putz!

Ele é o cara que eu quero ser quando ficar velho. Meus pais me deram caráter, meu avô destorceu tudo e fez de mim uma experiência. Ele queria saber qual lado da “Força” era mais forte em meu carater. Ele me ensinou tudo de errado e me viciou em tecnologia. Ele que me deu o meu  primeiro console. Na verdade, ele que me deu todos os consoles que eu tenho. O Master System, SNES, GB, N64, GBA, PSone, PS2, PSP, Xbox360 e PS3. Fora os bonecos de ação de vários personagens de desenhos, séries e filmes. Nunca vou me esquecer do dia em que ele me deu o meu primeiro Mac, em 2006, era lançamento “lá fora” e era um lixo, mas eu o tenho até hoje, e o mantenho guardado com todo o cuidado do mundo. Meu avô iria me levar para o Japão no meu aniversário de 18 anos. Iria eu e Sete, o Ted talvez não iria por causa da aeronáutica. Mas é a vida né?

Sim, é a vida…

Como me chamam?

Me chamam pelo meu nome: Stan. Eu sei que parece estranho, mas foi meu avô que escolheu meu nome, em homenagem ao Stan Lee. Ele sempre foi fã dos quadrinhos desse cara, e me deixou tudo de herança, e não estou brincando. Os HQ’s estão em um cofre no banco e eu só poderei pegar depois dos 21. Um pouco de exagero, mas ele sempre falou que toda a coleção vale uma fortuna, e que eu não teria maturidade para por as mãos antes de completar 21. Ele falava que nem depois dos 21, mas ou era isso ou doar tudo para um museu. Pelo menos ele deixou para mim.

Nada sai como planejado…

Só quero saber como vai ser esse ano… sem meu avô!

Aprendi a xingar com ele. Como ele sempre falava: “Vamos usar a arte do insulto!”…

“ É a vida! ”

@michellmendonca

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s